• Equipe Jardim Secreto

Severino Vitalino : A arte de perpetuar a arte popular


Casa/museu onde viveu Mestre Vitalino, pai de Seu Severino

peças em produção, durante a visita no ateliê de Severino

Lá em cima, no Alto do Moura em Caruaru Agreste Pernambucano há uma casa/museu onde viveu Mestre Vitalino, um dos responsáveis por profundas mudanças nesta comunidade e na arte popular brasileira. Quem nunca viu os bonecos de barro que tanto representam a cultura nordestina? Também lá, naquela construção de pau-a-pique era possível encontrar um dos seus 6 filhos, o Severino Vitalino.


Sentado no chão, pés descalços, pernas cruzadas, mãos ligeiras trabalhando o barro, um olhar tímido e, como quem se atrevia a conversar, um poço de gentileza e generosidade. Seu Severino logo ia dizendo que ali era o único museu do mundo onde era possível ver alguém produzindo arte ao vivo. E era mesmo! Era a coisa mais preciosa de se ver, carregava viva toda a trajetória do pai e da família compartilhando com quem por ali passava. Cada peça tinha uma história contada detalhadamente com um entusiasmo de quem acabará de ver pela primeira vez.




Temos um país com dimensões continentais e repleto de riquezas imateriais que ainda não nos demos conta! É urgente olharmos para nós, nos conhecermos, nos reconhecermos.

Começou a mexer no barro ainda quando menino. Nunca se imaginou fazendo outra coisa. Trabalhou ao lado do pai até os 23 anos, quando este veio a falecer. “Cheguei a aprender todas as qualidades de profissão que ele fez. São 108 peças que ele criou e eu trabalho em cima dos ensinamentos do Mestre Vitalino” dizia ele orgulhoso. Não tinha fala ou olhar para si, apenas para o trabalho do pai, acreditava ter o dever de preservar a história e o legado deixado por Mestre Vitalino.


Ele mesmo não sabia a grandeza do que ele fez dando continuidade a arte herdada. Transmitiu para os seus 13 filhos, seus netos seguem na mesma direção e certamente iluminou e inspirou muita gente que passou por ali.


Temos um país com dimensões continentais e repleto de riquezas imateriais que ainda não nos demos conta! É urgente olharmos para nós, nos conhecermos, nos reconhecermos. É necessário abrirmos o nossos olhares e gostos para as nossas verdades tão bem expressas pela Arte Popular, para que tantos outros Severinos possam florescer e aflorar com força.



Nesta segunda-feira, dia 07 de janeiro de 2019, Seu Severino Vitalino nos deixou aos 78 anos. Uma grande perda para sua comunidade do Alto do Moura, para a cidade de Caruaru, para o Estado de Pernambuco, para a região Nordeste, para o Brasil, que precisa ter coragem e empatia com seu povo forte, amoroso e rico das mais variadas formas de expressão.


Fica aqui expressa nossa homenagem à esse personagem da história do nosso Brasil.

Texto e registros fotograficos por Alcides Peixe e Charles Cunha

© 2018 CRIADO E DESENVOLVIDO POR STEHANTONOFF

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram