Quintal Polinizador: criando abelhas em casa (para adultos)

O projeto "Quintais polinizadores" ensina a criar e proteger as abelhas nas suas próprias casas.
A inscrição está fechada
Quintal Polinizador: criando abelhas em casa (para adultos)

H O R Á R I O / L O C A L

07 de set. de 2019 10:00 – 17:00
Galpão Jardim Secreto, R. Maj. Sertório, 209 - Vila Buarque, São Paulo - SP, 01222-001, Brasil

S O B R E

// Inscrições: envie nome e telefone para heborameldobrasil@gmail.com

// Valor: R$130,00

//Sobre:

Você conhece as abelhas brasileiras SEM FERRÃO? Também chamadas de Abelhas Indígenas ou Meliponíneos, elas representam imenso e pouco conhecido patrimônio biológico brasileiro. No nosso país existem mais de 200 espécies de abelhas SEM FERRÃO, distribuídas nas diversas regiões e formações florestais. São consideradas polinizadoras-chave para a manutenção de várias espécies vegetais nesses ecossistemas, além de produzirem méis de altíssima qualidade, com elevado sabor e potenciais medicinais. Dentre as espécies mais conhecidas, destacamos as jataís, mandaçaias, irapuás/arapuás, uruçus, marmeladas, dentre outras. Diante das perdas florestais, o aumento do uso de agrotóxicos e o desconhecimento, as abelhas brasileiras estão ameaçadas. E, com elas, todo o equilíbrio biológico e agrícola do nosso país! A meliponicultura- criação de abelhas nativas- é uma das poucas atividades no mundo que se encaixa nos quatro grandes eixos da sustentabilidade, pois é geradora de impacto ambiental positivo, é economicamente viável, é socialmente justa e culturalmente importante pela proposta educacional que desempenha no convívio com a sociedade. Pode ser desenvolvida em pequena escala, em ambiente urbano, trazendo muitos benefícios ecológicos e terapêuticos para o local. Portanto, na perspectiva de valorizar o ambiente escolar/empresarial/coletivo e viabilizar a criação de abelhas sem ferrão e todos os benefícios educativos que essa atividade pode trazer, Heborá criou a oficina “Quintal polinizador”. Conteúdo: Oficina de Sensibilização quanto a condição dos polinizadores globais; a importância de espaços verdes urbanos na conservação das abelhas; transformação de quintais ecologicamente funcionais; noções básicas de meliponicultura, diversidade de abelhas brasileiras e potenciais usos dessa biodiversidade. Serão expostas colméias de cinco espécies de abelhas nativas, seis tipos de meles para degustação, pólen e produtos confeccionados com própolis e cera. O espaço contará com caixas didáticas de abelhas nativas de diferentes espécies, hotel de polinizadores, estereomicroscópio para imagens aproximadas, painéis explicativos e plantas melíferas em vasos, formando um jardim de mel. Teremos a montagem coletiva de um hotel de polinizador.

A inscrição está fechada

C O M P A R T I L H E